Boletim Informativo do CONSEA-MG - Edição 04/2016


Curso em São João Del Rei promove capacitação em agroecologia




A Secretaria Municipal de Agricultura de São João Del Rei em parceria com o Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais (Campus Barbacena), estão realizando um curso de agroecologia para os agricultores familiares da região. Ao todo são 20 alunos que recebem capacitação teórica e prática através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). De acordo com a secretária municipal Conceição Maria do Carmo (Tutuca), a grade curricular que é de 160 horas, foi construída pelos próprios alunos através da auto gestão. “Os alunos apresentaram suas necessidades e aceitamos a proposta”, comentou.
Desta forma, segundo Tutuca, o curso é composto por módulos que abordam temas como: agroecologia, economia solidária no campo, combate às pragas na lavoura, processamento das plantas medicinais (secagem, preparação de pomadas), fruticultura no modelo agroecológico, gestão da propriedade no campo, criação de galinhas caipiras, entre outros assuntos.
O curso teve início em dezembro e vai até março. As aulas teóricas acontecem três vezes por semana no regime de alternância. Já as aulas práticas são realizadas nas propriedades dos alunos.
No dia 16 de fevereiro, a apresentação do módulo de fruticultura contou também com a participação da secretária executiva da Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (CAISANS), Beatriz de Carvalho.

Pronatec

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foi criado pelo Governo Federal, em 2011, por meio da Lei 11.513/2011. Ele busca ampliar as oportunidades educacionais e de formação profissional qualificada aos jovens, trabalhadores e beneficiários de programas de transferência de renda.
Os cursos, financiados pelo Governo Federal, são ofertados de forma gratuita por instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e das redes estaduais, distritais e municipais de educação profissional e tecnológica.


Agricultura familiar brasileira ganhará destaque na conferência da FAO


O ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrus Ananias, recebeu na manhã desta terça feira (23), o representante da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) no Brasil, Alan Bojanic. Na ocasião, o ministro foi convidado a participar da 34ª Conferência Regional para América Latina e o Caribe da FAO, que será realizada no México, de 1º a 3 de março.

Na avaliação do ministro, que confirmou sua participação, o evento, que ocorre a cada dois anos, vai promover o debate de pontos fundamentais. “É uma conferência muito importante, onde poderemos mostrar para outros países o que temos realizado na agricultura familiar e na reforma agrária do Brasil”, ressaltou.

Alan Bojanic considera o evento que, segundo ele, é o maior da FAO, oportuno para discutir temas da atualidade. “Teremos vários países reunidos para tratar de assuntos primordiais, como o desenvolvimento territorial, as mudanças climáticas e o desenvolvimento sustentável”, elencou.

34ª Conferencia Regional para América Latina e o Caribe da FAO

A Conferência Regional é parte central da governança da FAO. A fim de promover um compreensivo debate em itens da pauta, governos são encorajados a incluir em suas delegações, representantes do setor agrícola, extrativista, da pesca, do meio ambiente e de recursos naturais, além de representantes da sociedade civil e do setor privado.

Na conferência, serão realizadas a reunião dos oficiais superiores das delegações e a Reunião Ministerial. Para a Ministerial, estão previstos quatro Painéis de debate, com destaque para: ‘Desafios e Perspectivas para a Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe: dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) até os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)’ e ‘Desafios para o Setor Rural na América Latina e Caribe: Desenvolvimento Territorial Rural, Agricultura Familiar, Inclusão Social e Econômica e Inovação’, do qual o ministro Patrus participará.

Na oportunidade, também será lançado o livro ‘Superação da Fome e da Pobreza: Experiências Brasileiras’.

Fonte: MDA


12º Encontro das Câmaras Intersetoriais de Segurança Alimentar e Nutricional


Data: 25 de fevereiro de 2016

Local: por TeleConferência, sistema da Conab
Objetivos:
Balanço sobre a situação dos Convênios, dos Planos Estaduais de SAN e da Adesão municipal ao Sisan
Perspectivas para o Sisan em 2016
Apresentar proposta de Cronograma da Agenda de Atividades para 2016

Participantes:
Caisan Nacional e Consea Nacional
Caisans Estaduais
Representação da Comissão de Presidentes dos Conselhos Estaduais (CPCE)

Dia 25/02 – quinta-feira
10h30 – Recepção das CAISANS Estaduais e coordenação das atividades da Teleconferência
11h00 – Abertura
11h15 às 13h00- Balanço Geral sobre a situação das Caisans Estaduais: Convênios e perspectivas de novos recursos; Planos Estaduais de SAN (novos Planos e monitoramento e revisão dos vigentes), atividades para fomentar a adesão dos municípios.
Patrícia Gentil – Diretora do Departamento de Apoio a Implantação e Gestão do Sisan (SESAN/MDS)
Elcio de Souza Magalhães - Coordenador Geral de Apoio a Implantação e Gestão do Sisan (CGSIS/SESAN)
13h às 14h30 - Almoço
14h30 às 16h00 – Perspectivas para o Sisan em 2016

Arnoldo de Campos – Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sesan/MDS) – Desafios e Agenda Política para 2016

André Grossi Machado- Diretor de Apoio à Aquisição e à Comercialização da Produção Familiar (DECOM/SESAN) – Importância do PAA como uma política intersetorial no território

Kathleen Machado- Coordenadora Geral de Equipamentos Públicos de Segurança Alimentar e Nutricional (CGEP/SESAN) – Rede Brasileira de Banco de Alimentos

Patrícia Gentil – Diretora do Departamento de Apoio a Implantação e Gestão do SISAN

Ministério de Desenvolvimento Agrário lança o Programa de rádio Sintonia Rural


O Ministério do Desenvolvimento Agrária tem, a partir de hoje, um novo canal de comunicação com o agricultor familiar. É o programa Sintonia Rural, que irá ao ar, inédito, todas as terças e sextas-feiras, às 5h55. Nas segundas e quartas-feiras, o programa será reprisado no mesmo horário. O Sintonia Rural busca estabelecer contato com agricultores familiares de todas as regiões do país. E, dessa forma, disponibilizar, informar e mobilizar sobre os serviços do MDA.

O programa abordará temas que contribuem para a promoção da agricultura familiar, com muito serviço e experiências de sucesso. Temas como: alimentação saudável, produção de orgânicos, como acessar as linhas de crédito, mutirões de documentação, a participação dos agricultores e agricultoras familiares nas Olimpíadas e outros assuntos de interesse, que poderão ser sugeridos pelos próprios agricultores. As dúvidas do meio rural também terão espaço. As perguntas vindas do campo serão respondidas por técnicos do MDA ou, inclusive, pelo próprio ministro Patrus Ananias.


Acesse:

http://conteudo.ebcservicos.com.br/

Governo realizará ciclos de conferências regionais para fortalecer a discussão dos caminhos possíveis para agricultura familiar




Representantes de agricultores familiares que participarão da 2ª Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (CEATER) começam a ser selecionados nas etapas regionais e preparatórias. Até o dia 18 de março, as 23 cidades  distribuídas em todas as regiões mineiras terão concluído essa fase.

Nos encontros, serão discutidas as políticas públicas voltadas aos temas centrais da Conferência Nacional, prevista para maio e que vai tratar do papel da importância da Assistência técnica e extensão rural (Ater), ações de agroecologia e alimentos saudáveis.


As conferências regionais terão como objetivo debater sobre a importância da Ater como um serviço essencial para agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais e garantir o acesso ao serviço de forma gratuita, com qualidade e regularidade, bem como pensar as necessidade mineiras frente ao cenário nacional.

Março

03 
Santa Maria do Suaçuí

04
Porteirinha

07
Montes Claros
Muriaé

09
Governador Valadares

11
São João del Rei

12 
Caratinga

15 
Augusto de Lima
Passos
Teófilo Otoni

17
Divinópolis
Uberaba
Alfenas

18
Patos de Minas





Ministério de Desenvolvimento Agrário lança o Programa de rádio Sintonia Rural


O Ministério do Desenvolvimento Agrária tem, a partir de hoje, um novo canal de comunicação com o agricultor familiar. É o programa Sintonia Rural, que irá ao ar, inédito, todas as terças e sextas-feiras, às 5h55. Nas segundas e quartas-feiras, o programa será reprisado no mesmo horário. O Sintonia Rural busca estabelecer contato com agricultores familiares de todas as regiões do país. E, dessa forma, disponibilizar, informar e mobilizar sobre os serviços do MDA. 

O programa abordará temas que contribuem para a promoção da agricultura familiar, com muito serviço e experiências de sucesso. Temas como: alimentação saudável, produção de orgânicos, como acessar as linhas de crédito, mutirões de documentação, a participação dos agricultores e agricultoras familiares nas Olimpíadas e outros assuntos de interesse, que poderão ser sugeridos pelos próprios agricultores. As dúvidas do meio rural também terão espaço. As perguntas vindas do campo serão respondidas por técnicos do MDA ou, inclusive, pelo próprio ministro Patrus Ananias.

Acesse:

CLIPE CACIMBA DE MÁGOA DE GABRIEL PENSADOR MOSTRA TRAGÉDIA DE MARIANA E SOLIDARIEDADE DE ARTISTAS


O maior desastre ecológico ocorrido no Brasil comoveu artistas de várias partes do mundo. No Brasil, Gabriel O Pensador e a banda Falamansa se juntaram para produzir um clipe sobre a devastação que atingiu Mariana e toda a bacia do Rio Doce, trazendo consequências incalculáveis aos moradores, ao meio ambiente e à segurança alimentar da região.  A renda arrecadada com o clipe será destinada às vítimas atingidas pelo desastre.
O clipe mostra imagens aéreas da devastação provocada pelo rompimento da barragem da Samarco. O vídeo conta com a participação de Neymar, Grazi Massafera, Michel Teló, entre outras personalidades e tem a direção da alemã Ilka Westermeryer.
Segundo a (Emater-MG), a tragédia causou um prejuízo de cerca de R$ 23,2 milhões nas 195 propriedades rurais mineiras estudadas.
O levantamento foi feito a partir de visitas técnicas entre novembro de 2015 e janeiro deste ano. Foram avaliados os impactos do desastre em 95% das propriedades rurais atingidas nos municípios mineiros de Barra Longa, Mariana, Ponte Nova e Rio Doce, onde moravam cerca de 295 pessoas. Do total, 97% das propriedades atingidas estão em Barra Longa e Mariana.


O CONSEA-MG, sensibilizado com a tragédia de Mariana, externa sua indignação ao ocorrido e exige que as autoridades tomem as providências necessárias para amenizar o sofrimento da população.
   


Mostra abre inscrição para experiências de Bancos de Alimentos


Trabalhadores, gestores, docentes e estudantes de todas as regiões têm até 29 de março para apresentar iniciativas de promoção da alimentação saudável e de gestão, monitoramento e interface do equipamento de segurança alimentar com outras políticas públicas

Até 29 de março, pessoas ligadas a instituições e sociedade civil que desenvolvam trabalhos em Bancos de Alimentos podem inscrever seus relatos para participar da I Mostra de Experiências da Rede Brasileira de Bancos de Alimentos. O evento está marcado para os dias 5 e 6 de maio, em Brasília. 

As experiências selecionadas incluem a promoção de práticas alimentares saudáveis pelos Bancos de Alimentos, o planejamento, gestão e monitoramento dos equipamentos de segurança alimentar e nutricional e as interfaces desses com outras políticas públicas. Podem participar trabalhadores, gestores, docentes e estudantes de todas as regiões. Serão selecionadas 10 experiências a serem apresentadas em formato oral, além da demonstração em pôsteres de outros 100 trabalhos. 

A mostra foi criada para promover o compartilhamento de experiências e vivências do trabalho nos Bancos de Alimentos, provocando reflexões sobre o tema e dando visibilidade às atividades nos territórios. Na programação do evento, estão mesas-redondas, minicursos, mostra permanente, espaços para apresentação, discussão de experiências e atividades culturais. 

“A Rede Brasileira de Bancos de Alimentos agrega 220 equipamentos que buscam reduzir o desperdício de alimentos e que, cotidianamente, enfrentam obstáculos similares com soluções diversas. A mostra permite não somente o intercâmbio dessas soluções, como também a aproximação das pessoas e suas instituições buscando mecanismos de cooperação que possibilitem dar maior eficiência e eficácia a esta política pública”, afirma a coordenadora-geral de Equipamentos Públicos de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Kathleen Machado. 

O evento é realizado pelo MDS, em parceria com Sesc/Mesa Brasil, ONG Banco de Alimentos, a Rede de Bancos de Alimentos do Rio Grande do Sul, Associação Prato Cheio e Embrapa. Informações sobre as inscrições podem ser obtidas pelo endereço eletrônico cgep@mds.gov.br


Garantia Safra assegura a manutenção da agricultura familiar em Minas Gerais


Número de beneficiários com o seguro contra perdas na safra teve alta de 40% e investimentos de R$ 37 milhões

  • ícone de compartilhamento
O benefício de R$ 850 reais que a Dona Ilda Ferreira dos Santos, 43 anos, recebe por meio do Garantia Safra, garante o sustento da família durante o período de estiagem que afeta a zona rural de Capitão Enéas, no Norte de Minas. O programa atende famílias de agricultores familiares do semiárido mineiro, que ao longo do ano perderam mais de 50% da safra com a estiagem ou enchentes.
“Esse dinheiro ajuda bastante a gente. Ajuda na hora do aperto. Inclusive para comprar mudas e sementes”, conta a agricultora, que produz no quintal de casa milho, feijão, abóbora e mandioca. Os grãos e os legumes são vendidos na feirinha de sábado, na comunidade rural de Malhada Real, próxima à Capitão Enéas.
No ano passado, o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda), aumentou em 40% a quantidade de beneficiados, passando de 50 mil para 70 mil agricultores, em 168 municípios. Foram destinados mais de R$ 37 milhões. O programa conta com a parceria daEmater; com os Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável - CMDRS e as prefeituras locais.
Além disso, o Estado abriu a possibilidade para todos os municípios do semiárido fazerem adesão. Ao todo, 106 municípios se inscreveram no  programa.
O benefício de R$ 850 é concedido em cinco parcelas mensais, de R$ 170, ao agricultor ou agricultora que sofre com a perda de, pelo menos, 50% da produção de feijão, milho, arroz, mandioca, algodão ou outras culturas, em razão de estiagens ou enchentes. O dinheiro pode ser retirado a partir de julho, com o Cartão Social do Cidadão depois de comprovada a perda agrícola.
Na safra 2015/2016, 43.785 agricultores familiares receberão o benefício até julho. “É certo que, para a próxima safra, esperamos uma maior adesão dos municípios e dos agricultores para continuar garantindo o direito à segurança alimentar e nutricional às famílias dos territórios Norte, Alto Jequitinhonha, Baixo e Médio Jequitinhonha e Mucuri”, acredita o secretário de Estado de Desenvolvimento Agrário, Glenio Martins.
O Garantia Safra é uma ação do Ministério do Desenvolvimento Agrário, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), voltada para agricultores.
Os agricultores devem verificar se seus municípios aderiram ao Garantia Safra. Uma vez que o município assinou o Termo de Adesão e foi definida a quantidade de agricultores que poderão participar em sua jurisdição, se inicia o processo de inscrição, seleção e adesão dos agricultores. Outras informações podem ser acessadas no site da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário: www.agrario.mg.gov.br.


Fonte: Agência Minas

REDE ABRE PROCESSO DE SELEÇÃO PARA A PROMOÇÃO AGROECOLÓGICA



A Rede de Intercâmbio de Tecnologias Alternativas (REDE),  lançou edital para o processo de seleção de um gerente administrativo financeiro. A REDE trabalha na promoção e qualificação de experiências de produção agroecológica e organização popular, através do acompanhamento às famílias e grupos e da implementação de atividades de formação e capacitação que fortalecem as experiências e a atuação política das lideranças e das organizações de base. Os currículos e cartas de apresetnação poderão ser enviados até o dia 24 de fevereiro por e-mail, correio postal ou entregar a documentação diretamente nos escritórios da entidade. Por e-mail enviar paraanadelia@redemg.org.br , lorena@redemg.org.br e marcos@redemg.org.br  Mais informações sobre o edital no blog do CONSEA-MG.




Emater-MG estima que agricultores perderam R$ 23 milhões com rompimento de barragem em Mariana

 

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) estima um prejuízo de R$ 23,2 milhões nas 195 propriedades rurais mineiras atingidas pela lama de rejeitos de mineração da barragem de Fundão, que rompeu no dia 5 de novembro em Mariana (MG). Os dados fazem parte de um estudo divulgado ontem (16) pela Emater.


O estudo da Emater também aponta que 216 construções foram afetadas, causando R$ 5,2 milhões de prejuízo. Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

O levantamento foi feito a partir de visitas técnicas entre novembro de 2015 e janeiro deste ano. Foram avaliados os impactos do desastre em 95% das propriedades rurais atingidas nos municípios mineiros de Barra Longa, Mariana, Ponte Nova e Rio Doce, onde moravam cerca de 295 pessoas. Do total, 97% das propriedades atingidas estão em Barra Longa e Mariana.
De acordo com o estudo, a área rural de Barra Longa foi a mais afetada, com 136 propriedades atingidas e prejuízo de R$ 15,3 milhões. Em seguida vem Mariana, com 52 propriedades e perdas de R$ 7,1 milhões, Rio Doce, com três propriedades e perdas de R$ 670 mil e Ponte Nova, com quatro propriedades e prejuízo de R$ 71 mil. Cerca de 25 propriedades da região ainda estão sendo catalogadas.
Segundo o presidente da Emater-MG, Amarildo Kalil, o estudo pode servir de referência para que proprietários rurais possam requerer possíveis indenizações da mineradora Samarco, responsável pelo acidente em Mariana.
Perdas
A maior parte do impacto foi em áreas usadas para pastagem, capineiras, plantações de cana-de-açúcar, grãos e horticultura. Nesses locais, as perdas foram estimadas em R$ 15,6 milhões, relativas a 1.270,5 hectares de terras atingidas. Cada hectare corresponde, aproximadamente, a um campo de futebol.
O estudo da Emater também aponta que 216 construções foram afetadas, causando R$ 5,2 milhões de prejuízo, 161 quilômetros de cercas foram destruídas, ao custo de R$ 977 mil, 293 máquinas e equipamentos estragadas, no valor de R$ 760 mil, e 1.596 animais perdidos, com um prejuízo de R$ 651 mil. O levantamento também apurou que 34 produtores atingidos têm financiamento de crédito rural, no valor de R$ 3,3 milhões.
Propriedades produtivas






O estudo da Embrapa informa que a área atingida pela lama não apresenta condições para germinação de sementes ou para o desenvolvimento de raízes das plantas. Foto: Leonardo Merçon/Instituto Últimos Refúgios/Divulgação

De acordo com o presidente da Emater-MG, a maioria das propriedades têm condições de continuar com as atividades agropecuárias, pois apenas parte da área foi coberta pela lama de rejeitos.
Kalil disse que as propriedades avaliadas podem ser divididas em dois grupos. “Em 31 propriedades, a lama destruiu mais de 50% da área. Isso ocorreu especialmente nas terras que estão nas margens do Rio Doce e foram atingidas mais fortemente. Nessas propriedades as atividades produtivas estão inviabilizadas, porque as melhores áreas foram perdidas”.
O estudo revelou que a porcentagem das áreas atingidas nas propriedades foi, em média, 12,9%. “Em 164 propriedades, menos de 50% da área foi atingida, então ainda é possível realocar as atividades nessas áreas e voltar a produzir. A área que foi efetivamente atingida não será usada de imediato, precisa ser recuperada em médio e longo prazo.”
Um relatório feito pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a pedido do governo de Minas, diz que apesar de não ter sido detectada a presença de metais pesados em níveis tóxicos nas amostras, o solo das propriedades rurais atingidas pela lama de rejeitos apresenta deficiência de fertilidade e problemas de ordem física causados pelo surgimento repentino de uma camada de sedimentos na parte superior da terra. Conforme as análises laboratoriais, o material sedimentando não apresenta condições para germinação de sementes ou para o desenvolvimento de raízes das plantas.

Por Maiana Diniz, da Agência Brasil, in EcoDebate, 17/02/2016


Rede abre edital de seleção para compor equipe

EDITAL DE SELEÇÃO


A Rede de Intercâmbio de Tecnologias Alternativas (REDE), organização não governamental sem fins lucrativos, abre processo de seleção, por meio deste Edital, para contratação de 1 (um/a) Gerente Administrativo-Financeiro para compor a equipe da Instituição.

A REDE trabalha na promoção e qualificação de experiências de produção agroecológica e organização popular, através do acompanhamento às famílias e grupos e da implementação de atividades de formação e capacitação que fortalecem as experiências e a atuação política das lideranças e das organizações de base.


PRÉ REQUISITOS
ü  Formação de ensino superior em Administração ou Contabilidade;  
ü  Conhecimento em informática (texto, planilha, e-mail, internet);
ü  Boa fluência verbal e escrita;
ü  Capacidade de organização;
ü  Senso de ordenação
ü  Experiência na área
ü  Disponibilidade para trabalhos em finais de semana e em horários alternativos
ü  Disponibilidade para viagens a trabalho

PERFIL DESEJÁVEL
ü  Experiência em organizações afins e/ou gestão de projetos;
ü  Experiência em coordenação de equipe;
ü  Carteira de habilitação (categoria B)


ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS/REALIZADAS
ü  Elaborar o orçamento institucional e de projetos;
ü  Elaborar planjemanento financeiro institucional e de projetos;
ü  Analisar a execução adm-financeira dos projetos, subsidiando a equipe técnica nas tomadas de decisão sobre a aplicação dos recursos;
ü  Orientar e Analisar a prestação de contas dos projetos;
ü  Elaborar relatórios institucionais semestrais e anuais do setor;
ü  Acompanhar os processos de auditoria dos projetos;
ü  Responsável pela gestão de Recursos Humanos: Informações para folha de Pagamento; Encaminhar processos de contratação CLT e Elaborar os contratos de Prestação de Serviços;
ü  Coordenar o setor administrativo financeiro.



PROCESSO DE SELEÇÃO

1)     Os/as candidatos/as deverão enviar currículo e carta de apresentação (descrevendo suas aptidões e interesse pelo trabalho) para a REDE até o dia 24 de fevereiro de 2016, por        e-mail, correio postal ou entregar a documentação diretamente nos escritórios da entidade.


Pelo correio ou em mãos:  Rede de Intercâmbio de Tecnologias Alternativas (REDE)
                                            Ref. Processo de seleção para Gerente Administrativo Financeiro
                                            Endereço: Rua Tamboril, 248 – Bairro Concórdia - CEP 31.110-640                   
                                                              Belo Horizonte / MG - Telefone/fax: (31) 3421 4172

2)     Os currículos serão analisados a partir do dia 25 de fevereiro de 2016.

3)     Os/as candidatos/as pré-selecionados/as serão entrevistados/as nos dias 01 e 02 de março de 2016, no escritório da REDE, em Belo Horizonte.

4)     O resultado será divulgado até o dia 04 de março de 2016.


CONTRATAÇÃO E REMUNERAÇÃO
ü  Remuneração a combinar de acordo com o perfil (formação e experiência) do/a candidato/a selecionado/a.
ü  Os 3 (três) primeiros meses serão considerados “período de experiência”.
ü  Contratação a partir de 14 de março de 2016.
ü  Contrato por CLT.


LOCAL DE TRABALHO

Sede principal da Rede de Intercâmbio, no município de Belo Horizonte.




Prêmio mundial de agricultura orgânica vai para brasileira de 92 anos






Depois de 65 anos na luta pela saúde dos solos, a engenheira agrônoma Ana Primavesi, 92, recebeu o One World Award 2015 – o principal título de agricultura orgânica mundial. Conferido pelaInternational Federation of Organic Agriculture Movements (Ifoam), o prêmio honra ativistas cujo trabalho tenha impactado positivamente a vida de produtores rurais, sobretudo os mais desfavorecidos.
Ana dedicou a sua vida a ensinar como é possível aliar a produção de alimentos à conservação do meio ambiente, sem esquecer do agricultor familiar e de suas necessidades. “O segredo da vida é o solo porque do solo dependem as plantas, a água, o clima e nossa vida. Tudo está interligado. Não existe ser humano sadio se o solo não for sadio e as plantas, nutridas”, disse em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.
Em sua trajetória de trabalho, Ana revolucionou a produção agrícola e contribuiu para uma conscientização de uma alimentação mais saudável. O livro Manejo Ecológico do Solo, escrito por ela, é considerado uma das bíblias da produção orgânica e leitura obrigatória nas faculdades de Agronomia do país.  Ana mora em Santa Maria (RS).

(Texto adaptado do site Jornal Já)

Segurança Alimentar em Glaucilândia


Os moradores de Glaucilândia, norte de Minas Gerais, estão trocando lixo (materiais recicláveis) por mudas de plantas frutíferas, sementes de hortaliças e pintinhos caipiras. Trata-se do “Projeto Reciclar – menos lixo mais segurança alimentar”, promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG) em parceria com a prefeitura e o Instituto Estadual de Florestas (IEF). 

Desde a criação do projeto, já foram recolhidas duas toneladas de alumínio, entre latinhas, panelas e outros itens, uma tonelada de plástico, cinco toneladas de ferro velho, como canos de descarga de carros e partes de geladeiras e fogões, além de meia tonelada de papelão. Em troca, os moradores receberam 1.500 mudas de manga, laranja, limão e mexerica, 1.200 pintinhos e 80 kits de hortaliças e leguminosas. Os interessados devem procurar o escritório da EMATER de Glaucilândia para fazer o cadastro. Mais informações pelo telefone (38) 3236 – 8120. 


Comunidade Quilombola Mangueiras tem terras reconhecidas


O primeiro passo para a proteção do território da comunidade Quilombola Mangueiras. No dia 14 de janeiro, foi publicada, no Diário Oficial da União (DOU), a portaria do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), reconhecendo as terras quilombolas. A comunidade, formada por 35 famílias que descendem de Maria Bárbara, trabalhadora negra que nasceu por volta de 1863 fica no limite entre Belo Horizonte e Santa Luzia.
Para o conselheiro suplente do CONSEA-MG e presidente da Associação do Quilombo de Mangueiras, Maurício Moreira, o reconhecimento das terras significa o fim da segunda escravidão e o início de uma liberdade tardia. “Dizem que a escravidão terminou em 1888, mas a libertação foi assinada a lápis. Com a conquista das terras, ela começará a ser escrita a caneta”, comentou,
Para a pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais, Lilian Gomes, a conquista é importante mas não significa que a comunidade já tenha o título das terras. “A partir de agora começa um longo processo de desintrusão. Se tiver alguém de outra área, tem que tirar, pagar indenizações e isso pode demorar”, lembrou.
Quilombolas:

De acordo com o Centro de Documentação Eloy Ferreira da Silva (Cedefes), existem aproximadamente 400 comunidades quilombolas no Estado de Minas Gerais distribuídas por mais de 155 municípios. As regiões do estado com maior concentração de comunidades quilombolas são a região norte e a nordeste, com destaque para o Vale do Jequitinhonha.
Quilombolas
O termo “quilombo” deriva do kimbundu língua africana que pertence à família lingüística Bantu, relativa à atual região de Angola. No Brasil a palavra foi reapropriada. Era chamado de quilombo qualquer grupo de mais de cinco pessoas negras encontradas juntas e alocadas em qualquer sítio que dispusesse de um pilão (o que indicava autonomia de subsistência) e que não comprovassem sua situação de livres ou libertos.
O direito que eles têm às suas terras foi garantido pelo artigo 68 da Constituição Federal de 1988 e depois de 2003, quando o governo promulgou  o decreto nº 4887. Depois disso, foram criadas políticas públicas específicas para esta população. O INCRA tornou-se responsável pela regularização de suas terras.
(Com informações do Brasil de Fato)


BOLETIM INFORMATIVO 01/2016- CONSEA-MG






2ª Conferência Estadual de Assistência Técnica Rural: Ater, Agroecologia e Alimentos Saudáveis

O processo preparatório para a 2ª Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (2ª CNATER) em Minas gerais já começou. Em todo o Estado, serão realizadas, até o dia 18 de março, 22 conferências regionais e territoriais.
As conferências serão realizadas nos 12 Territórios homologados pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e em 11 Territórios (Regionais) definidos pela Comissão Organizadora Estadual (COE).
A etapa estadual da 2ª Conferência Estadual (2ª CEATER)  acontecerá em Belo Horizonte no período de 13 a 15 de abril próximo.
Para o secretário executivo do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRAF), José Antônio Ribeiro, a Conferência é um espaço de consolidação da Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural no país, tendo como foco neste ano a produção de alimentos saudáveis.
“Queremos mobilizar agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais, para fazer desta 2ª CEATER-MG, e em todas as suas etapas, um momento rico de discussões e proposições para a Assistência Técnica e Extensão Rural”, comentou.
Serão debatidos três pontos principais: o Sistema Nacional de Ater; a Ater e as políticas públicas para a agricultura familiar e, por fim, a formação e o conhecimento na Assistência Técnica e Extensão Rural.
Em todo o Brasil serão eleitos 606 delegados, culminando com a escolha de 60 delegados, sendo 20 representantes do poder público e 40 da sociedade civil. 

Etapas municipais – até Fevereiro de 2016
Etapas regionais e setoriais – até 18 de março de 2016
Etapa Estadual – de 13 a 15 de abril de 2016
Mais informações e documentos: www.conseaminas.blogspot.com.br