terça-feira, 28 de maio de 2013

Com 47 milhões de crianças alcançadas, Brasil é referência global em refeições escolares



28 de maio de 2013 ·



De acordo com o relatório “Estado Mundial da Alimentação Escolar 2013”, lançado na última sexta-feira (24), o Brasil está na segunda colocação na relação de países onde mais crianças são alimentadas nas escolas. Atualmente, 47 milhões de meninos e meninas recebem refeições nas escolas brasileiras, perdendo apenas para Índia, com 117 milhões. Atrás do Brasil estão os Estados Unidos, com 45 milhões de crianças, e a China, com 26 milhões.

O estudo é uma realização do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA) e analisa mundialmente os programas de alimentação escolar em países desenvolvidos e em desenvolvimento, bem como dados sobre a forma como os governos usam a merenda como um fator de segurança em tempos de crise.

De acordo com o PMA, em torno de 368 milhões de crianças — cerca de uma em cada cinco — obtêm uma refeição na escola todos os dias em 169 países desenvolvidos e em desenvolvimento. No entanto, apesar da alimentação escolar ser global, sua cobertura é menor onde a comida é mais necessária. Em países de baixa renda, apenas 18% recebem uma refeição diária entre as aulas em comparação com quase 49% das crianças dos países de renda média.

Brasil como referência

O documento afirma que o principal fator para o bom desempenho brasileiro está relacionado ao Programa Nacional de Alimentação Escolar, que abrange todas as escolas públicas e comunitárias do sistema de ensino básico — incluindo creches, jardim de infância, ensino fundamental e médio e educação para jovens adultos — e atinge 47 milhões de estudantes a cada ano. O programa foi lançado em 1955 e é o segundo maior do mundo em alimentação escolar.

O estudo também ressalta o vínculo entre a alimentação escolar, a produção de comida e participação da comunidade no país. Desde 2009, por lei, pelo menos 30% dos recursos transferidos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação devem ser usados para adquirir alimentos de agricultores familiares.

O relatório destacou também o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), outro pilar brasileiro na luta contra a fome e a pobreza, que promove compras de produtos alimentícios diretamente da agricultura familiar para os programas alimentares do governo. O PAA ajudou a criar, de acordo com a ONU, um vínculo entre os pequenos agricultores e as refeições escolares, barateando os custos da comida e aumentando a disponibilidade de frutas e vegetais.

O estudo também citou o Centro de Excelência contra a Fome no Brasil, localizado em Brasília e dedicado à discussão de políticas e aprendizado Sul-Sul para a alimentação escolar, nutrição e combate à fome e desnutrição. O centro foi criado em 2011 e é uma parceria entre o PMA e o governo brasileiro para apoiar soluções sustentáveis contra a fome em países da África, América Latina e Ásia.

Doações são vitais nos países de baixa renda

O PMA ressaltou o importante papel do Brasil como doador nos programas de alimentação de países de baixa renda. Nestes, o apoio internacional conta por 83% de todo o investimento na alimentação escolar e, além do Brasil, são doadores importantes a Austrália, Canadá, Egito, Estados Unidos, Honduras, Luxemburgo e Rússia, entre outros. De acordo com a agência da ONU, a parceria com os doadores é importante não apenas pelo financiamento, mas também pela experiência e compartilhamento de aprendizado.

O investimento global nos programas alimentares escolares é de cerca de 75 bilhões de dólares, com a maioria proveniente de orçamentos de governos. Embora estas possam parecer um grande investimento, os benefícios são ainda maiores, pois segundo o relatório para cada um dólar gasto pelo governo e doadores, pelo menos três dólares são adquiridos em retorno econômico.

Nos últimos cinco anos, pelo menos 38 países têm ampliado os seus programas de alimentação escolar em resposta a uma crise – seja relacionada com os preços dos alimentos, conflitos, desastres naturais ou a volatilidade financeira, aponta o estudo.

“Durante as crises de alimentos e combustíveis, em 2008, muitos governos se esforçaram para proteger os mais vulneráveis da fome e olharam para a merenda para conseguir isso. Na atual recessão, mesmo os países ricos estão examinando como a merenda pode impedir as famílias de serem atingidas pela pobreza e a fome”, disse Carmen Burbano, principal autora do relatório.


OMS quer diminuir a obesidade no mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) procura limitar a obesidade no mundo, ao estimular as autoridades nacionais a estudar possíveis impostos sobre os alimentos e bebidas prejudiciais à saúde. As grandes empresas multinacionais de alimentos e bebidas apoiaram várias medidas do plano da OMS, mas consideraram que impor novos impostos pode ter consequências contrárias às desejadas. "O custo da inação supera amplamente o custo de atuar", afirma a OMS em seu novo plano de luta contra a obesidade e outras causas de doenças não contagiosas.

Os países membros da organização de saúde da ONU, reunidos em Genebra desde 20 de maio, decidiram na noite de segunda-feira adotar o plano de ação contra doenças como como as afecções cardiovasculares, câncer ou diabetes crônica. O plano procura modificar modos de vida considerados prejudiciais, que incluem fumar, consumir bebidas alcoólicas ou comer alimentos que podem prejudicar a saúde e propiciar enfermidades não contagiosas, com o objetivo, entre outras coisas, de conter o aumento da obesidade no mundo até 2020. "A luta contra a obesidade é uma prioridade. É um dos principais fatores da luta contra as doenças não contagiosas", declarou Francesco Branca, diretor do departamento da OMS responsável pela nutrição para a saúde e o desenvolvimento.

Segundo um estudo publicado há dois anos que examinou a evolução do sobrepeso entre 1980 e 2008 nas pessoas com mais de 20 anos, em 2008 mais de 10% dos adultos no mundo eram obesos.Nos países ricos, os Estados Unidos eram o mais afetado pela obesidade, seguido por Nova Zelândia, enquanto a população do Japão registrava o menor índice de sobrepeso. Na América Latina, os mais afetados eram México, Argentina, Cuba e Brasil.

O plano da OMS, que inclui várias medidas, destaca a necessidade das empresas de alimentos e bebidas de reduzir os níveis de sal e açúcar adicionados aos produtos, assim como de substituir as gorduras saturadas por gorduras insaturadas, além da redução das porções. Também pede às autoridades nacionais um controle maior da publicidade de comidas e bebidas prejudiciais à saúde dirigida às crianças, com o objetivo de reduzir a obesidade dos menores.

A Aliança Internacional de Alimentos e Bebidas (IFBA), integrada por grandes empresas do setor, como Coca-Cola, Kellog's, McDonalds, Nestlé, Pepsico ou Unilever, afirma apoiar o plano da OMS, mas não concorda com a ideia de novos impostos.

O grupo adverte que isto poderia estimular as pessoas mais pobres a comprar produtos mais calóricos e menos nutritivos. "As medidas fiscais que procuram especificamente mudar o comportamento são difíceis de elaborar e de aplicar", declarou Jane Reid, da IFBA, à AFP em um e-mail.

Impostos deste tipo "teriam efeitos mais duros para as famílias de baixa renda", que poderiam compensá-los "comprando alimentos mais energéticos e menos nutritivos", afirmou a IFBA.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

SEMINÁRIO REGIONAL DE LANÇAMENTO DO PROGRAMA ESTRUTURADOR CULTIVAR, NUTRIR E EDUCAR



Região Central

O Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar tem como objetivo garantir o Direito Humano à Alimentação Saudável, Adequada e Solidária, contemplando o binômio Educação e Nutrição para os alunos das escolas públicas estaduais de educação básica, potencializando a alimentação escolar, fortalecendo a agricultura familiar e promovendo a educação alimentar e nutricional.

1.      LOCAL: Câmara Municipal de Curvelo, Rua Prefeito Irineu Moreira Gonzaga, nº 90 - Centro - Curvelo/MG.
2.      DATA: 17 e 18 de abril de 2013.

3.      PARTICIPANTES: Previsão de 150 participantes.
Municípios: Capim Branco, Baldim, Cordisburgo, Curvelo, Esmeraldas, Jaboticatubas, Maravilhas, Mateus Leme, Paraopeba, Presidente Juscelino, Ribeirão das Neves, São Joaquim de Bicas.
4.      PROGRAMAÇÃO

1° Dia 17/04/13 - Lançamento do Programa
12:00 às 14:00 – Credenciamento
14:00 às 14:30 – Abertura (representantes SGG, SEE, SES, SEAPA, CONSEA-MG, CAE-MG, Prefeitura Municipal de Curvelo).
14:30 às 15:30Binômio Educação e Nutrição: Direito Humano à Alimentação Saudável, Adequada e Solidária
Palestrante: Dom Mauro Morelli
15:30 às 15: 50 – Coffee Break
15: 50 às 16:30 – Apresentação do Programa Cultivar, Nutrir e Educar
Palestrante: Jacqueline Junqueira – Gerente do programa
16:30 às 17:00 – Esclarecimentos
17:00 às 17:30 – Apresentação de Experiência Exitosa
Palestrante:
17:30 às 18:00 – Esclarecimentos
18:00 – Encerramento

2° Dia 18/04/13 – Oficina Técnica
Manhã
08:30 às 09:00 – Processo: Alimentação Escolar
Palestrante: Valéria Monteiro de Jesus – Gerente do Processo
09:00 às 09:30 – Projeto: Fortalecimento da Agricultura Familiar para o Abastecimento Alimentar.
Palestrante: Ignes Botelho Figueiredo Matias – Gerente do Projeto
09:30 às 09:45 Intervalo
09:45 às 10:15 – Projeto: Estratégias Nutricionais de Promoção à Saúde.
Palestrante: Maria Flávia Bracarense – Rep. Gerente do Projeto
10:15 às 11:30 – Esclarecimentos
11:30 às 13:00 – Intervalo para Almoço
Tarde
13:00 às 13:15 – Apresentação do Manual Operacional e orientação do trabalho em grupo.
13:15 às 15:30 – Trabalho em grupo
15:45 às 16:00 – Coffee Break
16:00 às 17:00 – Plenário de apresentação, encaminhamentos/agenda de compromissos
17:00 – Encerramento

Contato para inscrição:
Helena Soares – SES
Tel: (31) 3916-0440 somente no horário de 13:00 – 18:00. E-mail: helena.maria@saude.mg.gov.br



quinta-feira, 23 de maio de 2013

Ideias na Mesa lança concurso de Fotografia sobre educação alimentar e nutricional






A rede virtual “Ideias na Mesa” lançou o 1º Concurso de Fotografias de Educação Alimentar e Nutricional (EAN), com o tema "Diferentes práticas de Educação Alimentar e Nutricional no Brasil". O concurso tem o objetivo de divulgar e premiar imagens que retratam melhor essa temática.

A inscrição é gratuita e podem participar todos os interessados que gostariam de compartilhar experiências por meio de fotografias. O regulamento está disponível no endereço (www.ideiasnamesa.unb.br).

Envie suas fotos para o e-mail ideiasnamesa@unb.br até às 23h55 do sábado (01 de junho).  As fotos serão analisadas e postadas na página do Ideias na Mesa no Facebook (www.facebook.com/ideiasnamesa.ean) para que sejam comentadas e curtidas pelo público.
As cinco fotos mais curtidas serão premidas com publicações sobre o tema. Dúvidas e informações podem ser enviadas para ideiasnamesa@unb.br.

Fonte: Ideias na Mesa

Departamento de Nutrição e Saúde realiza II Ciclo sobre Segurança Alimentar e Nutricional





O Departamento de Nutrição e Saúde realizará o II Ciclo de Discussões sobre Segurança Alimentar e Nutricional. Os encontros acontecerão nos dias 23 de maio, 19 de junho, 17 de julho e 14 de agosto, no auditório do Centro de Ciências Biológicas II, no campus Viçosa, sempre às 18h30. Os professores e estudantes interessados podem se inscrever pelo e-mail eventosan@yahoo.com.br.